top of page

Princípios Ideológicos

A Social Democracia

E os princípios básicos da Centro-Esquerda

”É melhor as falhas ocasionais de um governo que vive em um espírito de caridade do que as constantes omissões de um governo congelado no gelo de sua própria indiferença.” – Franklin D. Roosevelt (1882 – 1945), presidente dos Estados Unidos.

Essa frase representa um pouco do conceito de social democracia, uma corrente política e econômica que ganhou muito espaço na Europa, em países como França, Holanda, Espanha, Suécia e Áustria. Mas em que consiste o pensamento social democrata? Quais são seus pilares e quais as críticas?

 

A social democracia é, na sua origem, uma variação do socialismo, que surgiu dentro do movimento operário, ainda no século XIX. Diferente do marxismo, que busca substituir o sistema econômico capitalista, a social democracia aceita o capitalismo, mas busca corrigir os defeitos desse sistema, por meio da política. Portanto, faz uso de intervenções econômicas e sociais e promove reformas ao invés de substitui-lo totalmente. E seus principais valores são a igualdade e a liberdade.

No campo político, a social democracia defende as liberdades civis, os direitos de propriedade e a democracia representativa, na qual os cidadãos escolhem os rumos do governo por meio de eleições regulares com partidos políticos que competem entre si.

No campo econômico, a social democracia encontrou nas teorias do economista britânico John Maynard Keynes (1883-1946) a combinação perfeita para aliar os interesses sociais à mitigação de aspectos considerados problemáticos do capitalismo, como crises periódicas e elevado desemprego, no chamado “Estado de bem-estar social. Perspectiva política e econômica na qual o Estado tem um papel central na organização econômica, visando promover o progresso social e criar redes de segurança aos cidadãos “do berço ao túmulo”, ou seja, durante toda a sua vida.

Assim, o governo, ao prezar pelo Estado de bem-estar social, também passa a ter como objetivo a manutenção de um regime de pleno emprego e o aumento da renda dos trabalhadores, que resultariam em aumento da demanda interna, crescimento econômico e melhora das condições sociais.

 

Além disso, o governo regula o mercado de trabalho, criando proteções e leis como o salário mínimo, a regulação da jornada de trabalho, negociações coletivas entre sindicatos e representantes de setores empresariais e uma gama de direitos trabalhistas. Aliás, os sindicatos são uma das bases políticas mais importantes na social democracia.

 

Por fim, o Estado também participa de atividades econômicas que são consideradas necessárias ao desenvolvimento do país, particularmente quando não existe interesse privado, seja pela margem de lucro pequena, seja pela impossibilidade de oferecer o serviços para toda a sociedade – como costuma ocorrer nos setores de energia (geração elétrica, petróleo, carvão), comunicações, transportes entre outros.

Ah! A rosa vermelha é o seu símbolo mais famoso e representa o antiautoritarismo.

bottom of page