top of page
  • Foto do escritorMarcelo Dutra da Silva

BARRAGEM DO STA. BÁRBARA III: VISITA DA COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES

Neste terceiro e último texto sobre a barragem do Sta. Bárbara quero relatar a visita do grupo técnico que acompanhou a Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Vereadores de Pelotas, que ocorreu no início desta semana. Fizeram parte da comitiva, os colegas professores Diuliana Leandro e Maurizio Silveira Quadro, do Centro de Engenharias da UFPel, e os vereadores José Sizenando (DEM), Antônio Peres (PSB), Dila Bandeira (PSDB), Fernanda Miranda (PSOL) e o presidente da Comissão Marcus Cunha (PDT). Fomos recebidos no local pelo Sr. Vinícius Gonçalves, que com muito preparo, boa vontade e disposição, nos conduziu aos principais pontos do barramento.

FOTO: Grupo em visita à Barragem do Sta. Bárbara


O estado geral da barragem é bom, o esforço de manutenção é visível, mas ainda é possível observar problemas, inclusive alguns já conhecidos e apontados no relatório de segurança de barragens da Agência Nacional de Águas (ANA), publicado em 2017. Conforme Gonçalves a condição do maciço é de estabilidade e todos os reparos indicados no relatório estão sendo realizados. No entanto, ainda é possível observar paredes inclinadas no canal de fuga, que para além da área revestida está precisando de limpeza e desobstrução. Também, uma forte infiltração no talude do vertedouro, vários pontos de erosão no entorno do lago e a necessidade de tornar a comporta operacional, já que ela nunca foi acionada ao longo desses 50 anos e o risco de abrir é de não ser possível fechar e perdermos a maior parte do volume de água armazenado.


Entre os aspectos que consideramos positivos estão o coroamento asfáltico do maciço, para evitar acúmulo de água e desgaste; a instalação de 20 piezômetros, para medir a poropressão num ponto do solo, as pressões estáticas ou a compressibilidade dos líquidos e detectar possíveis infiltrações ao longo do maciço; e a percepção do administrador de que é necessário maior aproximação da expertise acadêmica, para que novas soluções possam ser apresentadas aos problemas que a barragem enfrenta todos os dias. Se temos pessoas capacitadas em casa, nas nossas universidades, porque vamos trazer de fora? Questionou Gonçalves, confiante. E de fato, alguns trabalhos em parceria com a UFPel já estão em andamento. O que é muito bom!


Também ficaram impressões muito positivas quanto as perspectivas de qualificação do serviço prestado pela barragem, que hoje é responsável por 50% do abastecimento público de Pelotas. Para o Ver. Marcus, é notório que o SANEP está procurando tomar medidas de precaução, mesmo que tardiamente. Para a colega Diuliana, apesar dos riscos associados a barragem deve-se lembrar da sua importância, não só como o maior reservatório de água do município, mas também como estrutura que tem como função minimizar os problemas associados a alagamentos na área urbana. Mas nada ficou tão claro como a necessidade de maior investimento em segurança e num plano de contingência específico, que de conta das principais ações e estratégicas para a contenção dos danos, caso a barragem seja afetada pelo derrame de cargas perigosas no perímetro da BR 116. Também, que considere o risco de rompimento, a extensão do alagamento, as zonas de maior impacto e que traga o protocolo de alerta e evacuação dos mais próximos. Medidas que precisam estar harmonizadas com a Defesa Civil, sem a menor dúvida.


Deixamos a barragem com a proposta de formarmos um grupo de trabalho, para dar suporte à Comissão de Meio Ambiente da Câmara. Na sequência estive na sede da Coordenadoria Regional de Proteção e Defesa Civil (Crepdec 4), onde tive a oportunidade de manifestar minhas preocupações em relação a barragem e a falta de um plano de emergência. Foram-me apresentadas as principais ações da Regional, que tem uma demanda enorme e um número reduzidíssimo de servidores para realizar, e o esforço do momento em torno da atualização dos planos de contingência dos 27 municípios que atende. Reforcei a importância da participação da Defesa Civil no grupo de trabalho a ser formado pela Câmara Municipal e me coloquei a disposição para contribuir nas ações de prevenção e segurança, particularmente associadas às ocupações de risco, um outro capítulo a ser debatido em Pelotas.

-----------------------

Publicação original

Artigos do Diário Popular (13/03/19)

Link: https://www.diariopopular.com.br/opiniao/barragem-do-santa-barbara-iii-visita-da-comissao-de-meio-ambiente-da-camara-municipal-de-vereadores-139546/

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page