top of page
  • Foto do escritorMarcelo Dutra da Silva

PERSPECTIVAS AMBIENTAIS PARA A REGIÃO SUL: BATE-PAPO COM O DEPUTADO HENRIQUE VIANA

Neste quarto e último bate-papo com os nossos representantes no Parlamento, quanto ao que pensam e projetam sobre nossas questões e demandas de meio ambiente, eu escrevo sobre o Dep. Luiz Henrique Viana, 57 anos, natural de Pelotas, advogado, pós-graduado em Gestão Pública. Um político cuidadoso, detalhista e experiente na política, que já foi secretário, vereador e líder do governo na Câmara Municipal de Pelotas. Liderança destacada na região foi eleito, em 2018, deputado estadual pelo PSDB, com mais de 41 mil votos. Um político em ascensão, de ideias moderadas, respeitado na comunidade política, que chega na Câmara Legislativa disposto a ajudar o Governo a superar as dificuldades enfrentadas pelo Estado.

FOTO: Deputado Estadual Henrique Viana


Conversei com o deputado no gabinete do Dep. Daniel Trzeciack, em Pelotas. Aliás, um belíssimo lugar. Muito organizado, bonito e que valoriza o patrimônio histórico da Cidade. Iniciamos pela melhor parte. Falamos de família, viagens, da beleza do tempo passar e acompanhar o crescimento dos filhos... Homem religioso, para ele, a política deve ser desenvolvida como a caridade, ou seja, para o outro. Entre os princípios que defende ─ éticos, morais e religiosos ─, diz entender que é necessário fazer o máximo possível para que se consiga levar às pessoas o máximo de satisfação quanto às suas necessidades.


A conversa flui e falamos sobre a atuação no campo legislativo. Disse estar acompanhando diferentes discussões sobre as questões portuárias. Que está evidente a necessidade de um maior investimento no porto do Rio Grande e nas operações portuárias, o que inclui portos satélites, como o porto de Pelotas e a rede hidroviária. E que acredita na diversidade logística para fortalecer o sistema de transporte de cargas e mercadorias. Para o deputado, os modais de transporte ferroviários e hidroviários aguardam ser estimulados ao uso. E para que sejam, finalmente, adotados por aqueles que demandam o serviço de transporte, serão necessários investimentos, que neste momento, só são possíveis se encontrarmos maneiras de firmar novas parcerias público privadas (PPPs).


Questionei o deputado quanto ao saneamento e o caos que se instalou na maioria das cidades gaúchas, sobretudo nas grandes cidades com Pelotas, que sofre com a qualidade do serviço, diante de uma demanda que só faz crescer. O deputado respondeu que vê a questão do saneamento com muita preocupação, que nos falta recurso para investimento, mas também planejamento na aplicação do pouco que temos. Que saneamento é prioridade, pois tem impacto na saúde, no turismo e na economia dos municípios. Então, é preciso que o problema seja atacado com vontade e que ele está a disposição para ajudar da melhor forma possível. Talvez seja o momento de buscar alternativas de tratamento e buscar saber o que vem dando certo em outras cidades brasileiras. O fato é que a organização pública perdeu a capacidade de atender este serviço. E se quisermos avançar e oferecer o que a população merece vamos precisar do aliado privado e concessões, afirma.


Também o questionei sobre o momento político delicado, que enfrentamos nas novas orientações do Ministério do Meio Ambiente, particularmente quanto ao licenciamento dos empreendimentos e desejo de maior agilidade na emissão das licenças ambientais. Para o Dep. Viana este é exatamente o ponto, agilidade. Defendeu que é preciso aproximar os atores envolvidos no licenciamento, de todas as pontas, para que se possa construir um consenso do melhor modelo a se aplicar. Talvez contar com a força intelectual e científica das universidades possa ser um caminho a se seguir, inclusive para nos orientar onde devemos investir em pesquisa. Uma observação muito interessante.


E já que ninguém governa sozinho, como bem lembrou o Deputado, esse também pode ser o modelo de gestão desejável para enfrentarmos outras duas questões bastante sérias, a proteção da nossa reserva hídrica e a contaminação do solo, das águas e dos alimentos da nossa mesa por venenos utilizados em lavouras (agrotóxicos). Ele disse que percebe a preocupação dos produtores, que também não é possível ignorar a necessidade de aplicação de defensivos agrícolas para garantir a produção e que é o caso de reunir mais gente no debate, que deve contar, também, com a participação da Embrapa, Emater e organizações de produtores e de defesa do meio ambiente. Devemos conversar para alcançar o objetivo comum, pois queremos a mesma coisa, produção e conservação da natureza. E para alcançar isso precisamos trabalhar juntos, defendeu Viana.

-----------------------

Publicação original

Artigos do Diário Popular (08/05/19)

Link: https://www.diariopopular.com.br/opiniao/perspectivas-ambientais-para-a-regiao-sul-bate-papo-com-o-deputado-henrique-viana-140982/

6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page